sexta-feira, 29 de abril de 2011

Eu sei que meu Redentor vive


Pensei que não fosse escrever neste espaço tão cedo. Aliás, acho que no meu mais íntimo consciente, já havia decretado a falência deste blog. O motivo do abandono é incerto: falta de tempo, aprendizados espirituais intensos (mais conhecido como deserto), etc...

Hoje fui impelida a escrever, ao perceber como tem sido recorrente os comentários, de posts já tão antigos, que venho recebendo através do meu e-mail. As confirmações de cada esperiência com Deus em que eu e tantos outros temos vividos, fez-me compreender que o blog ainda tinha alguma utilidade...

Assim, resolvi então compartilhar com vocês o meu maior aprendizado divino: a confiança em Deus.

Mais do que nunca, em meio a todos os impossíveis em minha vida, decidi confiar.
Já não quero me desesperar...
Creio que tudo que vivi me trouxe ao lugar em que agora me encontro. 
Percebo que a dificuldade em nossa trajetória de vida, apesar de oscilar, é uma companhia sempre presente. Entretanto, a forma como lidamos com os infortúnios podem revelar e até mesmo designar se haverá ou não solução para tudo isso.

Hoje é fácil entender que conhecer a Cristo significa confiar Nele.
De acordo com o dicionário, confiança é sinônimo de familiaridade. Confiança em Deus, por conseguinte, seria a profundidade do nosso relacionamento com Ele, o nosso grau de intimidade.

Vejo que meus problemas, perante essa confiança, que foi tão sofrivelmente construída, verdadeiramente são passageiros, pois conheço o Deus que eu sirvo, como declarou Jó: Pois eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra.”(Jó, 19:25)

Não preciso entrar em detalhes sobre a história de Jó, creio que ela é bastante propagada. Só quero frisar que a paz que excede todo entendimento só pode estar embasada na confiança Naquele que pode todas as coisas. 

Descansar em Deus como um bebê que não se preocupa se terá alimento, e mesmo assim é alimentado. Como uma criança que não se preocupa com o amanhã, se terá ou não vestes ou brinquedos, apenas confia que seus pais serão a sua provisão e cuidam do seu futuro.

Agora não quero mais me desesperar, brigar, reclamar, só quero deitar no colo do Pai, em meio a toda tempestade, e me acalmar, pois eu sei que meu Redentor vive! Aleluia!!!!!

p.s.: Na foto acima, eu, meu sobrinho Matheus e minha sobrinha recém nascida Milena