quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Inserida em outro mundo


Não sei se luto mais com essa insônia, porque tenho uma leve impressão de que não sou eu quem está ganhando...

Em meio a tantas obrigações e preocupações, um pensamento corriqueiro me veio novamente à cabeça, assim, mais uma vez, minha mente, querendo trabalhar, atrapalha meu horário de descanso, ou melhor, desfaz todos meu horários...

Mas, indo direto ao assunto, queria relatar que, mais um vez, ao final de mais um dia, percebi que não me sinto inserida. E não diria que foi uma agradável constatação. Antes, tive a certeza, como sempre, da minha incompletude.

É engraçada essa necessidade de complemento, que por vezes procuramos que outros  preencham e, apesar das muitas decepções, não são poucos os que passam uma vida inteira nessa busca.

Mesmo sabendo das limittações humanas, continuo não me sentindo inserida. Só pode ser algo metafísico. Percebo, novamente, que não sou deste mundo, e quem é???

Assisti uma palestra de um grande escritor, Cristovão Tezza, em que ele afirmou que "um escritor precisa da tristeza para escrever, um escritor profundo precisa da solidão", nessa argumentação eu acrescentaria que, este escritor, que não é um qualquer, necessita do "vazio", o grande vazio da alma humana...

Mais uma vez não me senti inserida, pois, de há muito, rejeito esse vazio, essa solidão, e só desejo a vida de Cristo, a sua paz, o seu amor, que, definitivamente, não são desse mundo vazio...

O único momento em que me sinto inserida é na presença do Pai, quando choro pra Ele e recebo seu preenchimento, seu toque e, para me permitir ser cheia do seu Espírito, não preciso de um lugar, mas de uma escolha, a minha, de me sentir inserida em um "mundo vazio", ou estar cheia e estar inserida em outro mundo.

Mas muitos são os que escolhem este mundo e, assim, jamais provam do estado "cheio", alguns até tentam, mas desistem e se perdem no caminho, afinal, "estreito é o caminho que conduz à salvação".

Os intelectuais "vazios", ou os ignorantes "vazios" ainda se sentem em vantagem quando encontram alguém de "outro mundo", se sentem satisfeitos por pertencer verdadeiramente ao planeta Terra, entretanto, com a experiência de quem um dia também já foi "terrestre", tenho certeza da incontáveis vantagens de ser "de outro mundo", um mundo feito só para os escolhidos, aqueles que verdadeiramente têm provado da comunhão com o Pai, algo realmente de outra galáxia, quiçá, de outra dimensão.

Como tantos outros, sou mais uma peregrina neste mundo, porque, com toda certeza, aqui não é o meu lugar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar no blog!