segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Após a noite, sempre haverá uma manhã...


Não sei o porquê, mas as lágrimas têm aparecido com mais frequência, principalmente durante a noite, algo difícil de traduzir...

Se reflito acerca das circunstâncias em que me encontro, sinto uma dor; vejo e identifico minhas limitações. É na escuridão da noite que enxergo melhor minhas aflições...

Talvez seja por esse poderio de quebrantamento que a noite exerce, que o salmista decreveu que "o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã (Salmos 30:5). 

O período noturno costuma ser o momento em que nos sentimos mais frágeis, pois vemos a loucura do dia terminar, o sol se por, e nos debatemos com os pensamentos, muitas vezes reprimidos, das nossas angústias mais temidas. É quando colocamos a cabeça no travesseiro, querendo não mais pensar em nada e somente descansar para o dia vindouro, que o incomôdo parece crescer. Muitas vezes, são horas e horas de insônia por causa das muitas preocupações, medos e tribulações. A noite nos torna fracos, impotentes e, por isso, fazemos na noite os nossos maiores prantos...

No entanto, por mais que as trevas e a escuridão nos afronte com os nossos mais terríveis pesadelos, temos a promessa da "alegria do amanhecer", verdade também reconhecida pelo salmista.

Se temos chorado pra Cristo, então, nesta mesma noite nebulosa receberemos nosso consolo, afinal, depois de uma longa noite sempre haverá uma renovadora manhã.

O mais importante é ter a convicção de que nosso Jesus sempre está conosco, seja nas difíceis noites, ou nas maravilhosas manhãs.

Consolo bem presente na angústia, que enxuga minhas lágrimas, me ajuda a prosseguir e ainda me faz deleitar no frescor da nova manhã, Emanuel: Deus comigo!


2 comentários:

  1. amei o seu blog...parabens
    entre no meu tbm por gentileza http://diariodaobreira.blogspot.com/
    bjinhos

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar no blog!