domingo, 28 de fevereiro de 2010

Eu quero amar! (Final)

Eu não poderia terminar de falar sobre amor sem fazer uma reflexão acerca do amor de Deus. Aprender a amar como o Pai ama é a razão deste post.

Tenho sentido pulsar em meu coração a necessidade de aprender a amar da forma como Deus quer que eu ame. Sei que não é uma tarefa fácil rejeitar o tipo de amor que o mundo oferece e abrir o meu coração para Deus fazer brotar em mim a essência desse maravilhoso sentimento.

Aprender a amar dessa maneira requer muito esforço da nossa parte, mas o pontapé inicial é estar disposto a receber esse coração, um coração segundo o coração de Deus.

O amor de Deus é incondicional, ou seja, se nós pecarmos, Ele nos amará; se errarmos, Ele continuará nos amando, se formos maus, Ele nos amará também. O Pai nos ama porque nos ama e não porque somos bons ou maus, bonitos ou feios, pobres ou ricos. Não há condição para que Deus nos ame e isso é lindo!


Quantas e quantas vezes nos achamos indignos desse amor celestial? Quantas vezes pensamos que por causa dos nossos pecados o Pai passará a nos odiar e esquecerá de nós? Tudo isso é mentira do nosso inimigo. Deus nos ama porque somos obra de suas mãos e não porque somos santos, afinal, todos somos pecadores e só somos salvos por causa desse imenso amor.


Esse amor incondicional não é impossível. Em Cristo Jesus podemos amar dessa forma, pois é assim que Ele quer que nós amemos.


"Mestre, qual é o grande mandamento na lei? E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. (Mateus 22: 34-37)


Alguém que possui esse amor para com Deus e para com o próximo agrada ao Senhor, entretanto, são poucos os que estão dispostos a renunciar suas vontades para amar de tal maneira.


Vendo o amor humano, fico sem palavras diante do amor de Deus.


Jesus ensinou que amar é oferecer a outra face, é calar-se, é perdoar 70x7, é aceitar uma punição como ovelha muda ao matadouro, é ser xingado, maltratado, perseguido, caluniado e continuar calado, é beijar aquele que está te traindo, é perdoar um grande ladrão e ainda lhe presentear com a salvação. Que grande amor!


Que amor é esse Jesus? Amor que sofre, que é benigno; amor que não é invejoso; o amor que não trata com leviandade, que não se ensoberbece, que não se porta com indecência, que não busca os seus interesses, que não se irrita, que não suspeita mal; que não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; amor que tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. (I Coríntios 13:4-7)

Um amor que é bom, ou seja, não deseja o mau. Você já parou para pensar que, nas horas de ira, você deseja muito o mal para quem você ama? Já reparou como são grandes e constantes brigas entre irmãos, entre pais e filhos, entre marido e mulher?
Amor que não é invejoso. Já notou como a inveja tem sido um dos grandes males da humanidade? Neste mundo de posse que vivemos hoje, boa parte das pessoas retorcem o nariz com a vitória alheia. Sim! Isso ocorre dentro da própria família, dentro da igreja. Quanta inveja nos corações! Muitas vezes as pessoas nem falam , mas o coração...
Não trata com leviandade. Quantos amores mentirosos que vemos por aí! Quantas mentiras por "boas causas". Em outras palavras, quem ama não mente, ou pelo menos não deveria...
Amor que não se ensorbebece. É um amor que não é orgulhoso, mas, antes, é humilde.
Amor que não se porta com indecência. Aqui temos o contrário do amor carnal. O verdadeiro amor não se baseia na carne.
Amor que não busca seus interesses. É um amor desinteressado. Ama-se sem pedir nada em troca, somente pelo prazer de amar. Não espera recompesa.
Amor que não se irrita. É um amor calmo. Amar é o oposto de brigar. Por que será que hoje achamos natural relacionamentos com discussões? Irritação não provém do amor, mas do desamor.
Amor que não suspeita mal é amar sem desconfiança.
Amor que não folga com a injustiça. Não folgar significa não se alegrar com a injustiça.
Amor que tudo sofre, crê, espera e suporta. Creio que essas quatro últimas palavras nem precisam de explicação. São palavras tão fortes que dizem tudo por si só.


Por tudo isso e muito mais, o meu Deus me constrange com esse amor. É um amor tão perfeito e tão inimaginável que se torna muito poderoso.


Estar disposto a amar com tamanha perfeição é ter a certeza de que esse amor existe e nos é ofertado. Quantas vezes por causa de um só olhar nós dizemos que não fomos com a "cara" de fulano? Quantas vezes nos fechamos para o amor? Porém, se negamos amor, estamos oferecendo o ódio, o desprezo, a indiferença e, consequentemente, estamos desobedecendo a Jesus quando Ele nos disse para amarmos o próximo.


Amados, só podemos dar esse tipo de amor quando recebemos. E o Pai, o Filho e o Espírito Santo têm muito amor para dar, só basta querermos receber.
Somente esse amor cura, liberta, salva e transforma. E Ser transformados por esse amor significa também querer transformar.


Amar a Deus e o próximo, como dito acima, requer uma grande vontade e dedicação, mas sem esse sentimento puro e perfeito jamais agradaremos a Deus.
Por isso, desejo que, assim como o Pai me entregou essas reflexões, vocês possam pensar melhor na maneira de amar, para que encontrem seus erros e busquem seus acertos.

Espero que vocês construam com o nosso Deus o verdadeiro amor e rejeitem todas as formas de amar que o diabo oferece, pois elas nada mais são que ilusões, uma vez que satanás é o pai da mentira e mentirosa é toda a obra da sua mão.


"Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria." (I Coríntios 13:1-3)



Eu quero amar, Senhor! Quero passar por cima da minha imperfeição, quero parar de fazer acepção e ter um coração transbordante do Teu perfeito amor, porque tenho recebido o Seu grande amor em meu coração. Te amo muito, Jesus!

"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor." (I Coríntios 13:13)

Um comentário:

  1. ola pessoal,

    Como citado nesses ultimos posts do blog, "eu quero amar!" podemos ver como o amor de Deus e para conosco, e notamos tbm como o diabo tem agido cada vez mais nesse sentimento que move diversas pessoas.

    Muitas vezes mesmo sabendo a verdade ainda caimos nas armadilhas do diabo, mas devemos estar cada dia mais buscando a Deus, buscando o verdadeiro amor do Pai, nos entregando a Ele, pois assim seremos cada vez mais forte para vivermos o verdadeiro amor.

    Mesmo cercado pelos mais diversos tipos de falso amor, devemos ver como estamos tratando o irmao? sera q tamos seguindo o ensinamento de Deus?

    Espero q assim como para mim esses post sirvam para que cada um busque ainda mais o amor de Deus.

    otima semana para tds

    Frederico Melo

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar no blog!