domingo, 28 de fevereiro de 2010

Eu quero amar! (Final)

Eu não poderia terminar de falar sobre amor sem fazer uma reflexão acerca do amor de Deus. Aprender a amar como o Pai ama é a razão deste post.

Tenho sentido pulsar em meu coração a necessidade de aprender a amar da forma como Deus quer que eu ame. Sei que não é uma tarefa fácil rejeitar o tipo de amor que o mundo oferece e abrir o meu coração para Deus fazer brotar em mim a essência desse maravilhoso sentimento.

Aprender a amar dessa maneira requer muito esforço da nossa parte, mas o pontapé inicial é estar disposto a receber esse coração, um coração segundo o coração de Deus.

O amor de Deus é incondicional, ou seja, se nós pecarmos, Ele nos amará; se errarmos, Ele continuará nos amando, se formos maus, Ele nos amará também. O Pai nos ama porque nos ama e não porque somos bons ou maus, bonitos ou feios, pobres ou ricos. Não há condição para que Deus nos ame e isso é lindo!


Quantas e quantas vezes nos achamos indignos desse amor celestial? Quantas vezes pensamos que por causa dos nossos pecados o Pai passará a nos odiar e esquecerá de nós? Tudo isso é mentira do nosso inimigo. Deus nos ama porque somos obra de suas mãos e não porque somos santos, afinal, todos somos pecadores e só somos salvos por causa desse imenso amor.


Esse amor incondicional não é impossível. Em Cristo Jesus podemos amar dessa forma, pois é assim que Ele quer que nós amemos.


"Mestre, qual é o grande mandamento na lei? E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. (Mateus 22: 34-37)


Alguém que possui esse amor para com Deus e para com o próximo agrada ao Senhor, entretanto, são poucos os que estão dispostos a renunciar suas vontades para amar de tal maneira.


Vendo o amor humano, fico sem palavras diante do amor de Deus.


Jesus ensinou que amar é oferecer a outra face, é calar-se, é perdoar 70x7, é aceitar uma punição como ovelha muda ao matadouro, é ser xingado, maltratado, perseguido, caluniado e continuar calado, é beijar aquele que está te traindo, é perdoar um grande ladrão e ainda lhe presentear com a salvação. Que grande amor!


Que amor é esse Jesus? Amor que sofre, que é benigno; amor que não é invejoso; o amor que não trata com leviandade, que não se ensoberbece, que não se porta com indecência, que não busca os seus interesses, que não se irrita, que não suspeita mal; que não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; amor que tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. (I Coríntios 13:4-7)

Um amor que é bom, ou seja, não deseja o mau. Você já parou para pensar que, nas horas de ira, você deseja muito o mal para quem você ama? Já reparou como são grandes e constantes brigas entre irmãos, entre pais e filhos, entre marido e mulher?
Amor que não é invejoso. Já notou como a inveja tem sido um dos grandes males da humanidade? Neste mundo de posse que vivemos hoje, boa parte das pessoas retorcem o nariz com a vitória alheia. Sim! Isso ocorre dentro da própria família, dentro da igreja. Quanta inveja nos corações! Muitas vezes as pessoas nem falam , mas o coração...
Não trata com leviandade. Quantos amores mentirosos que vemos por aí! Quantas mentiras por "boas causas". Em outras palavras, quem ama não mente, ou pelo menos não deveria...
Amor que não se ensorbebece. É um amor que não é orgulhoso, mas, antes, é humilde.
Amor que não se porta com indecência. Aqui temos o contrário do amor carnal. O verdadeiro amor não se baseia na carne.
Amor que não busca seus interesses. É um amor desinteressado. Ama-se sem pedir nada em troca, somente pelo prazer de amar. Não espera recompesa.
Amor que não se irrita. É um amor calmo. Amar é o oposto de brigar. Por que será que hoje achamos natural relacionamentos com discussões? Irritação não provém do amor, mas do desamor.
Amor que não suspeita mal é amar sem desconfiança.
Amor que não folga com a injustiça. Não folgar significa não se alegrar com a injustiça.
Amor que tudo sofre, crê, espera e suporta. Creio que essas quatro últimas palavras nem precisam de explicação. São palavras tão fortes que dizem tudo por si só.


Por tudo isso e muito mais, o meu Deus me constrange com esse amor. É um amor tão perfeito e tão inimaginável que se torna muito poderoso.


Estar disposto a amar com tamanha perfeição é ter a certeza de que esse amor existe e nos é ofertado. Quantas vezes por causa de um só olhar nós dizemos que não fomos com a "cara" de fulano? Quantas vezes nos fechamos para o amor? Porém, se negamos amor, estamos oferecendo o ódio, o desprezo, a indiferença e, consequentemente, estamos desobedecendo a Jesus quando Ele nos disse para amarmos o próximo.


Amados, só podemos dar esse tipo de amor quando recebemos. E o Pai, o Filho e o Espírito Santo têm muito amor para dar, só basta querermos receber.
Somente esse amor cura, liberta, salva e transforma. E Ser transformados por esse amor significa também querer transformar.


Amar a Deus e o próximo, como dito acima, requer uma grande vontade e dedicação, mas sem esse sentimento puro e perfeito jamais agradaremos a Deus.
Por isso, desejo que, assim como o Pai me entregou essas reflexões, vocês possam pensar melhor na maneira de amar, para que encontrem seus erros e busquem seus acertos.

Espero que vocês construam com o nosso Deus o verdadeiro amor e rejeitem todas as formas de amar que o diabo oferece, pois elas nada mais são que ilusões, uma vez que satanás é o pai da mentira e mentirosa é toda a obra da sua mão.


"Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria." (I Coríntios 13:1-3)



Eu quero amar, Senhor! Quero passar por cima da minha imperfeição, quero parar de fazer acepção e ter um coração transbordante do Teu perfeito amor, porque tenho recebido o Seu grande amor em meu coração. Te amo muito, Jesus!

"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor." (I Coríntios 13:13)

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Eu quero amar! (Parte II)


(continuando)

No grego antigo encontramos várias palavras que significam amor, são elas:

Eros (amor) - um amor apaixonado fundamentado e baseado na aparência física.

Ágape - No Novo Testamento,agapē é caridade e amor altruísta e incondicional. É amor paternal e a maneira que Deus ama a humanidade, visto logo na criação do mundo ou na morte de Jesus. Por isso, é visto pelos cristãos como o tipo de amor que os homens têm de aspirar um ou outro.

Phileo - Usado no Novo Testamento, Phileo é uma resposta humana a algo que é bom e delicioso. Também conhecido como "amor fraternal".

Podemos perceber que atualmente o mundo se baseia neste amor "Eros". Este culto ao corpo é apresentado de forma exacerbada, de maneira que esquecemos a origem do nosso sentimento.

O desequilíbrio transforma todo sentimento, por melhor que seja, em algo indesejável. O bom não é que amemos da forma como nosso coração, mente e corpo desejam, mas que amemos da forma que mais valorize as nossas qualidades e a dos outros também, pois, dessa maneira, conseguiremos avançar na busca pela nossa felicidade e pela felicidade alheia. Assim sendo, devemos amar com equilíbrio.

Para amar com equilíbrio é imprescindível descontruir vários conceitos e formas de amar que aprendemos desde crianças.

O resumo do texto acerca do amor que o mundo apregoa diz que somente o amor de outro ser humano nos preenche. Acreditar que a nossa "alma gêmea" poderá ser capaz de fazer todos os nossos dias perfeitos é o mesmo que acreditar que teremos uma vida física eterna.

As crianças, desde cedo, são acostumadas a sonharem com os seus relacionamentos amorosos porque são ensinadas que esta é a melhor porção da vida. E nessa busca desenfreada não valorizam o amor fraternal e familiar que os cercam, antes, desejam ultrapassar as fases e entrar logo no rol dos "amantes".

A mídia é a que mais contribue para que esse pensamento se aflore e tome força. Os pais, já acostumados com a ideia, acham até bonitinho os "namoricos" e, assim, cada vez mais a doença do amor imediatista se fortalece.
O engano de que amor se resume em prazer traz sérias consequências para a sociedade que, cada vez mais, acha natural descartar as pessoas que já não lhe proporcionam a satisfação desejada, simplesmente porque o tempo passa e a "fila anda".

Somos constantemente defraudados emocionalmente simplesmente porque aprendemos amar de uma forma equivocada. Entender que amamos erroneamante é preciso para tentarmos acertar e curar nossas corações.

O amor ideal não é o amor humano, uma vez que todas as suas infinitas versões trazem prejuízos a um relacionamento. Dessa forma, devemos aprender com quem sabe de verdade. Quem melhor do que o nosso Deus de amor, que criou esse sentimento maravilhoso para nos ensinar?

(Continua no próximo post)

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Eu quero amar! (Parte I)



Oi, gente!

Bom, o amor de Deus é algo imensurável e, exatamente por isso, nunca é demais falar desse assunto.

O Senhor tem ministrado sobre esse sentimento em meu coração e, quando o Fred escreveu sobre o tema, vi que o Pai confirmou a necessidade de aprendermos mais sobre essa dádiva divina, por isso hoje eu vou falar mais de amor. Que missão díficil, hein?

Minha intenção aqui é apenas fazer uma reflexão sobre esse sentimento tão complexo, buscando, com isso, valorizá-lo mais no dia a dia, me tornando mais propicia ao amor, amando cada vez mais.

Levando em consideração a grandiosidade do assunto, resolvi continuá-lo em outros posts. Espero que vocês estejão tão dispostos a amar quanto eu. Vamos lá?

Primeiramente, vamos às definições. Amor, segundo o dicionário, significa: (latim amor,-oris, s.m.) 1. Sentimento que induz a obter ou a conservar a pessoa ou a coisa pela qual se sente afeição ou atração. 2. Paixão atrativa entre duas pessoas. 3. Afeição forte por outra pessoa. 4. O forte ser que se ama. 5. Ato sexual. 6. Bradura suavidade. 7. Paixão ou grande entusiasmo por algo.

Podemos perceber por essa definição do Aurélio que há várias visões desse sentimento. É por causa dessa relatividade que nós também temos muitos problemas, ou seja, o chamado amor doentio.



O homem, por mais que tente, não consegue encontrar a perfeição do amor, simplesmente porque somos seres imperfeitos demais e muitas vezes nos recusamos a amar com o verdadeiro amor. Em outras palavras, nós amamos condicionalmente.

Mas quando Jesus veio ao mundo, ele nos ensinou o que é o verdadeiro amor, quebrou tabus e demonstrou que não é o conceito que interessa, mas sim as atitudes. Resumindo, podemos falar aos quatro ventos que amamos e, na realidade, nunca sentir esse amor.

Atualmente ensina-se mais sobre as relações sexuais do que sobre as relações amorosas. Os jovens sabem mais sobre sexo do que sobre amor e isto influencia o seu comportamento no mundo. É de prever que no futuro os divórcios aumentarão e a própria instituição do casamento, tal como a conhecemos hoje, desaparecerá.


Nos anos 70, surgiu o primeiro estudo sobre os diferentes estilos de amor. O que o sociólogo John Alan Lee concluiu ainda hoje é válido: a forma como se ama depende de vários fatores, como personalidade, cultura e educação, mas geralmente os indivíduos combinam dois ou três estilos, embora um tenda a predominar.

Dos tipos de amor (criado e experimentado pelo homem), gostaria de elencar os mais comuns, são eles:

Amor carnal: Esse tipo de amor é bem comum. Só leva em conta a carne e, consequentemente, seus prazeres. O amor carnal é efêmero e superficial. É o tipo de amor que visa primordialmente o prazer. Algo totalmente maligno. Tem como artifícios a sedução, o culto ao corpo.
Amor possessivo: Domínio excessivo. Faz-se do objeto amado uma propriedade exclusiva. O que está em questão é somente a realização daquele que ama. Normalmente as relações baseadas nesse tipo de amor são unilaterais. Problemas com ciúmes, desconfiança e discussões são bem comuns.
Amor interesseiro: Apesar de estar bem longe do verdadeiro amor, esse tipo de sentimento nada mais é do que um meio mais fácil de se conseguir o que se quer. É por causa desse interesse que muitos se aproximam de Deus, só amam quando recebem o que querem e, caso não recebem deixam de amar.
Amor escravo: Ama-se mais o objeto de desejo do que o seu próprio eu. Este tipo de sentimento é totalmente extremista e até obsessivo. Nesse tipo de relação o sofrimento sempre faz parte. Sofre-se por amar. Quem ama acha natural "mutilar" em prol do benefício do amado.
Amor iludido: Não se ama o ser real, mas o ser imaginário. Em muitos casos esse amor também pode-se denominar "platônico", uma vez que se idealiza o objeto amado. O problema nesse sentimento é ele fundamenta-se em uma mentira. Vive-se um relacionamento tentando moldar o outro conforme o seu querer. Na maioria dos casos a frustração é certa.

(continua no próximo post)

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Amor de Deus

Olá, pessoal! Hoje vim falar de duas coisa muito importante, que estão muito ligadas, são elas: Deus e amor. Como poderemos ver nas passagens a seguir, a própria natureza de Deus é o amor.

"Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor." ( I João 4:8)

"E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele." (I João 4:16)

Vendo que Deus é amor, podemos observar que a bíblia nunca deixou de chamar atenção para o amor de Deus.
Deus amou o mundo de tal maneira que Ele entregou seu filho por nós, para nossa salvação.

“Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.” (Romanos 5.8)

Após mostrar esse amor de Deus para nós, chamo vocês a uma reflexão. Será que você tem amado a Deus realmente?

Li algo recentemente que me chamou muito a atenção, dizia mais ou menos assim: “o amor é muito prático, ele não é vão, tampouco um simples assunto verbal”. Analisando os três tópicos mencionados, podemos concluir que muitas vezes nós complicamos o amor, vendo-o de forma difícil. Não amamos mais verdadeiramente, coisa muito simples de se ver, basta olhar os relacionamentos atuais. E, por último, não devemos amar apenas da "boca para fora", mas sim com o coração. Por isso, pergunto: Você está sendo sincero com Deus? Tem o amado realmente? Tem se entregado somente a Ele? Tem feito algo para demonstrar seu amor a Deus? Já que Deus é amor, essas são iniciativas imprescindíveis para que possamos estarmos em comunhão com Ele.


Agora, ampliando um pouco sobre o assunto, será que estamos seguindo também os mandamentos acerca do amor de Deus? Nessa parte, gostaria de citar todo o capítulo 15 de João, mas, para não ficar muito extenso, recomendo que cada um leia e faça sua reflexão.

“O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei.” João 15:12


Sei que isso amar é muito difícil, pois como vamos amar quem não nos ama? É muito mais fácil gostarmos de quem gosta de nós. Mas Jesus foi nosso maior exemplo de que devemos amar sem fazer acepção.
Dessa forma, deixo uma mensagem a todos, que para mim também é muito difícil (mas estou me esforçando para melhorar cada vez mais): Perdoe! Não guarde sentimentos ruins de ninguém, pois quando você sente isso não perdoou. E uma outra coisa, (essa já tenho facilidade) confie nas pessoas, dê oportunidade para elas mostrarem seus valores. Você poderá se surpreender muito e, apesar de muitas decepções, poderá ter surpresas boas também.

Desejo vocês declarem de coração seu amor a Deus.

Um ótimo resto de semana!

Por Frederico Melo Lacerda

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Esperar em Deus

"Esperei com paciência no SENHOR, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor." (Salmos 40)

Olá, pessoal! Aproveitei bastante o feriado (descansando, é claro!), por isso fiquei um pouco sumida, mas já estou aqui para, como sempre, compartilhar com vocês o prazer de viver com e para Jesus. Aleluia!

Ontem senti no coração de ir ao monte, precisava falar com Deus de uma forma mais intensa, necessitava abrir o meu coração por inteiro para Ele, na verdade tudo o que eu queria era pedir socorro para quem realmente pudesse me salvar. Após me alegrar no Senhor, louvando-o, expus todas as minhas angústias, meus medos e, consequentemente, sobrevieram-me muitas lágrimas. Quando decidi ir embora, veio uma angústia muito maior sobre mim, um desespero  ao olhar todas as minhas petições, era como se naquele momento eu estive vendo o mar vermelho em minha frente.

Ao chegar em casa, o Senhor me disse algo muito simples, porém muito forte. Ele falou: "Espera." Que resposta maravilhosa! Como meu coração descansou naquela hora! Quando o Espírito Santo me disse apenas esta palavra pude ter a certeza que o Pai havia recebido minha oração; que o todo poderoso tinha inclinado os seus olhos e seus ouvidos para mim. Que tremendo! Me senti tão segura naquela hora! Foi como se todo aquele desespero houvesse desaparecido. O Senhor me encorajava a continuar confiando Nele e tudo isso me dizendo apenas um verbo.

No momento em que meu coração se alegrou com o cuidado do Pai ao me responder, ao dizer que eu não estava sozinha em meio as dificuldades, o Espírito de Deus me fez lembrar de uma experiência parecida.

Há alguns anos, antes mesmo de ser batizada, eu orava ao Senhor somente para fazer duas petições ( como muitos, eu achava que Deus só existia para que pudesse nos das as coisas). Na época, queria um emprego e uma pessoa especial ao meu lado porque, literalmente, não queria perder tempo com a pessoa errada. Muitas vezes eu orava e nem mesmo acreditava que Deus perderia tempo me ouvindo. Mas que bom que eu estava enganada.

Certo dia, ao visitar uma igreja (pois não congregava em nenhuma) Deus usou uma pessoa para me dizer: "Espera." Sim! Somente esta palavrinha. Sai de lá da mesma forma que entrei, pensando com os meus botões: "Odeio esperar!". E por odiar esperar comecei a esquecer dessa resposta, contudo, continuei incomodando a Deus. Ainda bem que na bíblia diz: "Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. Porque, aquele que pede, recebe; e, o  que busca, encontra; e, ao que bate, abrir-se-lhe-á." (Mateus: 7-8)


Graças a Deus não precisei esperar muito depois daquela resposta. Após alguns meses, eu já estava trabalhando e, no mesmo ano, conheci essa pessoa especial, só que, até então, não sabia que ela era a minha resposta. Você sabia que você era a minha resposta bb? (rs) Que maravilhosa resposta, hein?

Bom, como dito em Lamentações de Jeremias 3:21, o Senhor me trouxe a memória bênçãos já concedidas para renovar em mim a esperança e para que eu tenha a certeza que tudo provém Dele.

É isso que tenho a dizer. Espera no Senhor. Espera. Eu sei que esperar não é fácil. O tempo muitas vezes é o nosso maior adversário, mas há um tempo determinado para tudo (Eclesisastes 3) e no tempo de Deus suas vitórias virão. Nunca se esqueça: Deus é fiel!

Profetize! Ore! Não desista! Chore para Deus, se for necessário, porque vai se cumprir! Vai chegar!

Como já chorei para Deus! Que alegria o Espírito Santo me trouxe ao me fazer lembrar tantas graças recebidas. Hoje sei que o tempo de Deus é perfeito, que Ele nos molda primeiro para depois nos abençoar, para que a nossa bênção não se torne maldição.

Se o Senhor já fez tanto por mim, continuará fazendo e, da mesma forma, é com todos aqueles que Nele esperam.

"Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças." (Filipenses 4 : 6)

Obrigada, meu maravilhoso Deus! Obrigada por ouvir o meu clamor, por me ensinar a esperar em Ti. Obrigada por conceder tantos desejos do meu coração. Te amo!

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Paz em meio ao caos


"(...) e sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito." (Romanos 8 : 28).

Estamos vivendo tempos de guerra, de batalhas, de lutas. Luta da natureza, com toda sua fúria agonizando suas dores e devastando toda obra que anseia lhe impor limites; guerras do homem querendo sempre ser o melhor, o mais poderoso, desejando ter mais e, por isso, mata, rouba, alicia, faz tudo ultrapassando suas barreiras sociais, psíquicas, emocionais, invadindo o dito "espaço alheio".

Não acho que seja necessário citar todos os males da humanidade para com ela mesmo e para com o meio que vive. Já estamos abarrotados dessas informações e também sabemos no que tudo isso resultará: no fim do mundo. Sim, haverá um fim para tudo e nem é necessário crer no apocalipse para perceber que essa realidade se aproxima. É tudo uma questão de consequência. É a lei da natureza, que, para nós cristão, a priori, é a lei divina.

Só quero compartilhar que, em meio a tanto caos, tanta dor, pertubação, decepção, podemos encontrar a paz. Tenho encontrado essa paz com Cristo. Essa sensação de que tudo está ruim, mas ainda existe um abrigo, um lugar seguro aos pés do meu Senhor tem me dado muita calma.

Como já citei no blog anteriormente, só quem sente sabe o que é esta paz que excede todo o entendimento. (Filipenses, 4:7). É simplesmente algo inenarrável, indescritível!


No microcosmo, muitas são as angústias. É tão fácil nos afligirmos! Ao final de um dia, para a maioria das pessoas, as coisas ruins sempre são maiores. Murmuramos, reclamamos e até choramos. No entanto, ainda que sejamos tantas vezes ingratos, ao chegarmos mais pertinho do nosso Deus, seja através de uma sincera oração, de uma verdadeira adoração ou até mesmo por um deleite em sua palavra, conseguiremos sentir esse amor incondicional, essa paz de saber que o Rei dos reis tem o mundo inteiro para cuidar, mas mesmo assim tem os olhos todos os dias, todas as horas em mim, em você. Isso é tremendo, hein?

Ouvi uma música, da Eyshila,  que tem falado muito comigo, e explicita muito bem esse sentimento de conforto, de cuidado do nosso Poderoso Pai, ela diz assim: "Tens o mundo inteiro nas mãos,mas teus olhos podem ver o meu coração. Por isso me prostro aos Teus pés e Te adoro por tudo que és. Tu és, não há palavras pra descrever a imensidão do Teu poder. Tu és, e não há Deus além de Ti. Tens o mundo inteiro pra cuidar, mas o Teu olhar está sobre mim."

"Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo." (João 16 : 33)

A nossa diferença consiste no fato de estarmos em Cristo e somente Nele podermos descansar, ainda que a tempestade nos assuste. 

Experimente o sobrenatural do nosso Salvador, não limite o Seu poder. Ele pode todas as coisas e a nossa paz, o nosso amor, consolo, a nossa vitória e alegria estão firmadas Nele. Só Ele pode nos dar a paz que tanto anseia o nosso coração.
Não há palavras para descrever tanto poder, tanto amor. Em meio ao caos, ao deserto de amor do mundo, nós temos um manacial do Espírito Santo.

Obrigada por Tua paz, meu Pai!

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Guarda o teu coração

Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida.(Pv 4:23)

Como está bem explícito no versículo supracitado, do nosso coração procede as fontes da vida, assim como a arma da morte.

A importância de guardamos o nosso coração consiste no fato de que  uma atitude, um sentimento, uma opinião, primeiramente são geradas em nosso coração, para depois gerar seus frutos. Se não vigiarmos, se não orarmos e não buscarmos ter um coração segundo o coração de Deus regaremos árvores que gerarão os maus frutos e o pior de tudo é que suas raízes podem ser muito profundas e, consequentemente, bem resistentes.
Nós não nascemos sentindo rancor, raiva, inveja, assim como não nascemos amando, se alegrando. Todas as nossas sensações e sentimentos são aprendidos durante a nossa vida. Nós somos um retrato da nossa criação, da nossa cultura. É muito normal que pessoas de personalidade forte, tenham sido criadas  por pessoas de personalidade forte, como é normal também que uma pessoa dócil tenha um histórico de pessoas dóceis em sua família.

Partindo desse pressuposto, de que nós escolhemos quais sentimentos, opiniões e atitudes regar em nossas coração, quais que deixaremos gerar e dar frutos e quais eliminaremos desde a raíz, entenderemos que Deus nos diz para fazermos as escolhas certas desde o início, em nosso coração.

Só que as escolhas certas de Deus vão além da nossa justiça, Ele deseja que tenhamos um coração puro perante Ele e não somente as mãos limpas perante os homens. Pecamos por cultivar sentimentos ruins em nossos corações, porque teremos atitudes ruins concernentes a esses sentimentos sim. Pode até ser que não assassinemos uma pessoas que cometeu uma injustiça para conosco, mas teremos a ação de rejeitá-la, maldizê-la, ser hipócrita, e muitas vezes até mesmo de prejudicá-la.

"Eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo; e qualquer que disser a seu irmão: Raca, será réu do sinédrio; e qualquer que lhe disser: Louco, será réu do fogo do inferno." (Mateus 5:22)

A melhor pessoa que conhecemos, se não tiver uma vida de comunhão com o Pai, não só pode, como é certo que ela possua sentimentos ruins, ainda que bem escondidos. Ter um coração limpo depende de termos uma vida com Deus, pois só Jesus foi um homem de coração puro e só Ele pode nos dar esse coração.
Se você não gosta que as pessoas te invejem, te xinguem, tenham ódio de você, então guarda teus coração desses setimentos e pensamentos malignos.
Quando as setas vierem, porque elas virão, rejeite-as. Fácil não é, mas nós temos um Deus todo poderoso que se agrada quando clamamos pela pureza de coração. A sua faxina interior não é você quem faz, mas sim o Espírito Santo, só basta você querer e clamar por essas águas que limpam.

Dá-me, Senhor, um coração limpo e contrito para te agradar.