sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Boca bendita ou boca maldita?

Quantas e quantas vezes ouvimos coisas que não saem da nossa mente e até mesmo do nosso coração?
A força das palavras é inquestionável, principalmente quando não são as melhores palavras...
A agressão verbal é muito maior que qualquer outra, porque ela penetra no nosso mais íntimo ser, podendo permanecer durante anos e dando muito trabalho para ser levada ao esquecimento.

“O que contamina o homem não é o que entra na boca, mas o que sai da boca, isso é o que contamina o homem”. (Mateus 15.10)

A injúria, mentira, engano, afronta se expressam através das palavras. Quando acertam o alvo, nos causam uma explosão interna inenarrável. Creio que todos já passaram por isso um dia na vida. Contudo, uns são mais relevantes que os outros. Creio também que todos já proferiram "tiros verbais" com intenção ou não de machucar ou punir, direta ou indiretamente.

Quanto mais me machuco com as palavras alheias, mais me policio para não fazer o mesmo.
Já parou para pensar o quanto você já machucou quem você mais ama? Por que sempre temos mais "liberdade" para agredir quem está mais próximo?
Na hora da raiva não medimos o que falamos e nos esforçamos para insultar o máximo possível as pessoas, dizendo as "piores verdades". No entanto, quando tudo passa, quem ofendeu segue sua vida normalmente, porém quem ouviu (foi ofendido) não esquece. E, lá na frente, quando aquela pessoa que, na hora da discussão, queríamos tanto mal, se encontra em uma situação difícil, sofremos. Já vi muito isso ocorrer entre casais, pais e filhos, entre irmãos...

Jesus disse: “A língua também é um fogo. Ela é um mundo de maldade, ocupa o seu lugar no nosso corpo e espalha o mal em todo o nosso ser. Como o fogo que vem do próprio inferno, ela põe toda a nossa vida em chamas. O ser humano é capaz de dominar todas as criaturas e tem dominado os animais selvagens, os pássaros, os répteis e os peixes. Mas nenhum homem pode domar a língua. É um mal que não se pode refrear; está cheia de veneno mortal. Com ela bendizemos a Deus e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus. De uma mesma boca procede bênção e maldição. Meus irmãos, não convém que isto se faça assim” (Tiago 3.6-10)

Como eu já ouvi e me machuquei por ouvir certas palavras! Como eu já machuquei por falar certas coisas!
Como você já foi ferido, você já feriu, então, reconheça seus erros e vigie com o que sai da sua boca.
Tenha uma boca bendita aos olhos de todos e, principlamente, aos olhos do Pai.

Que os meus lábios, Senhor, sejam bênçãos em Teu nome!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar no blog!