quarta-feira, 28 de outubro de 2009

“Quero trazer a memória o que me dá esperança."

Difícil é acreditar quando não se vê nada.
Difícil é continuar quando tudo te impede.
Difícil é fazer o que as pessoas dizem pra ser feito.
Bom, nem tudo é fácil mesmo...
Há momentos em que Deus se cala, e você começa falar muito.
No desespero sempre fazemos coisas para chamar a atenção de alguém, simplesmente porque temos a necessidade de sermos ouvidos para que possa chegar uma solução. No entanto, nem tudo sai conforme planejado.

Jeremias escreveu o livro de Lamentações em grande desespero, e ele disse: “Quero trazer a memória o que me dá esperança.” (Lamentações 3:21)
É como se uma pessoa estivesse se afogando e, em plena fúria do mar, olhando ao redor, seus companheiros já vencidos, mortos, mas, naquele caos, surge um escombro, algo que pode ser usado como bóia. Essa "bóia" deve ser usada, pois ela poderá salvar-lhe a vida. E esse escombro, tão inútil em outros momentos, agora é imprescindível. Eis aí a provisão do Senhor.
Isso é "ruminar" os momentos bons, revivê-los, "trazer de volta à memória" para que no dia mal seja a esperança, seja a fé em Deus.
O problema é que uma coisa é falar, outra é viver, não é mesmo?

Sempre damos mais valor às situações difíceis, do que as boas. Da mesma forma é com as pessoas. Quando elas tem atitudes agraciadas, mal recebem um agradecimento, no entanto, quando fazem algo dito "errado" são "apedrejadas".
É por isso que Deus permite situações ruins, para que valorizemos as boas, para amadurecermos espiritualmente e como seres humanos e, independente da situação, louvemos a Ele, afinal, tudo é por Ele e para Ele.

Fácil não é mesmo, porém sempre teremos o nosso Deus conosco e, um dia, no momento Dele, a sua glória será revelada em nossas vidas. Aí está a diferença que comentei no post anterior: a certeza do agir de Deus.

A minha esperança hoje é meu aniversário de namoro. Há dois anos o Senhor colocou alguém muito especial em minha vida e, apesar de alguns percalços, só vejo a mão de Deus nos abençoando e ensinando. Obrigada, Jesus! Obrigada, Frederico, por todos esses dias de companherismo. Sou feliz contigo! Te amo!

No desespero, na dificuldade, você pode crer???

Perdão, Senhor, se não te honrei nas minhas fraquezas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar no blog!